Arranco do Engenho de Dentro retorna para Sapucaí e abre noite de ensaio técnico


Por: Gabriella Silva

Entrando na avenida com cerca de 1 hora de atraso a agremiação que está de volta à Sapucaí traz neste ano o enredo “Zé Espinguela – Chá do meu terreiro”, do carnavalesco Antônio Gonzaga

Das arquibancadas o povo aguarda ansiosamente a escola entrar na avenida (Foto: Reprodução/Rafael Quintanilha)

Os ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí estão a todo vapor. Abrindo a noite do esquenta, a primeira escola a ensaiar neste sábado (21) é a Arranco de Engenho de Dentro. Para o segundo fim de semana de ensaios técnicos das escolas de samba no Sambódromo, a Comlurb preparou uma nova operação especial de limpeza . A Companhia vai atuar na limpeza do lado de fora do Sambódromo, no entorno e áreas de acesso em três turnos, antes, durante e depois do evento. A pré-limpeza será feita por 15 garis. Uma equipe com 34 garis entra às 15h e outra, com 42 garis, começa a trabalhar a partir da meia-noite. Os profissionais de limpeza vão atuar com o apoio de um caminhão compactador e dois caminhões satélites. Os garis farão a limpeza dos logradouros, lavagem de pontos críticos, com água de reuso e a remoção de resíduos.

Neste sábado ensaiando pela Série Ouro após um longo período longe da Marquês de Sapucaí, o Arranco de Engenho de Dentro está de volta ao templo sagrado do carnaval carioca. Com o desafio de fazer um bom desfile e permanecer na Série Ouro, a escola aposta em um jovem carnavalesco, Antônio Gonzagafoi o escolhido para comandar essa missão. Conhecido no mundo do samba como compositor do Salgueiro, chegando a algumas finais por lá, Antônio teve passagens de sucesso com criação de identidades visuais para a Cubango e Grande Rio, recentemente colaborou para o vice campeonato e para o primeiro título da escola de Duque de Caxias, sendo assistente direto de criação dos carnavalescos Leonardo Bora e Gabriel Haddad.

Em 2023 a escola traz para avenida o enredo “Zé Espinguela – Chá do meu terreiro”, festejando cinquenta anos de sua fundação, o Arranco, guiado por Zé Espinguela, mostrará o nascimento dos desfiles das escolas de samba e contou com a participação da Mangueira, da Deixa Falar (atual Estácio de Sá) e do Conjunto Oswaldo Cruz (atual Portela).

Esse ano a escola traz a frente como Rainha da escola Linne Chaves que entrou esbanjando simpatia carisma e muito samba no pé na noite deste sábado. A morena foi coroada pela Escola ano passado no mesmo dia do aniversário da Presidenta da agremiação Tatiana Santos.

Ana Moraes Madrinha de Bateria atraiu os holofotes ao entrar na avenida exibindo uma belíssima fantasia além de muito samba no pé.

Ana Moraes, Madrinha de Bateria (Foto: Reprodução/ Rafael Quintanilha)

1º Casal de Mestre Sala e Porta-Bandeira Yuri Souzah e Gislaine Lira Silva deram o ar da graça na avenida prometeram defenderem o pavilhão da escola. Vale ressaltar que a escola também traz Walber Negreiro e Anderson Morango como 2º Casal de Mestre Sala e Porta-Bandeira, além dos 3º Casais Robson Alves e Thainá Mattheis

1º Casal de Mestre sala e Porta Bandeira Yuri Souzah e Gislaine Lira (Reprodução/Rafael Quintanilha)

Como Coreógrafo pela Comissão de frente a escola traz Fábio Batista como responsável. Ele foi anunciado pela escola em substituição a Rodrigo Sathler, que esteve à frente do quesito no último desfile. Fábio Batista é dançarino, diretor, coreógrafo e estudante do curso de História na PUC Rio. Ele também atua como presidente da Associação Cultural do Andaraí, Projeto PoDe-C! Andaraí, além de ser diretor da Escola Carioca de Danças Negras, diretor/coreógrafo da Cia Clanm, membro do Coletivo Negraação, membro da Comissão Artística do Sindicado da Dança do Rio de Janeiro e diretor Artístico da Mangueira Bailarino na Cia Étnica durante 15 anos, coreografou alas e carros muitas escolas do Grupo Especial, com destaque para os trabalhos de 2017 e 2018 premiados pelo Estandarte de Ouro na categoria Melhor Ala. Fábio Batista já coreografou a comissão de Frente da Renascer de Jacarepaguá, da Paraíso do Tuiuti, da Imperatriz Leopoldinense e, no último Carnaval, da Acadêmicos do Cubango

Intérpretes Diego Nicolau e Pamela Falcão (Reprodução/Rafael Quintanilha)

Após a Arranco, as escolas Unidos da Ponte, Unidos de Bangu e União da Ilha do Governador também realizam seus respectivos ensaios técnicos. Já no domingo (22/01), pelo Grupo Especial, será a vez de Imperatriz Leopoldinense e Unidos da Tijuca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s