“A Fantástica Fábrica da Alegria” é o enredo da tricolor da Zona Norte

A Acadêmicos de Vigário Geral deu o pontapé inicial visando o Carnaval 2023. A agremiação vai levar para Marquês de Sapucaí o enredo “A Fantástica Fábrica da Alegria”, desenvolvido pelos carnavalescos Alexandre Costa, Lino Sales, Marcus do Val e pesquisa feita por Marcus Vinícius Sant’anna. 

A escola apresentará uma temática diferente do que nos últimos carnavais. A tricolor da Zona Norte vai narrar a vida do menino Samir, cria da comunidade de Vigário Geral, que sempre sonhou em encontrar o bilhete premiado e realizar todas as suas fantasias. O carnavalesco Marcus do Val explica o motivo da escolha: 

⁃ Depois de dois carnavais com críticas sócias, em 2023 resolvemos trazer um enredo mais leve e inocente. Nesse enredo pretendemos conduzir à todos uma viagem a momentos que pelo menos uma vez trouxe aquele sorriso de canto de boca ou até mesmo uma risada. Vamos valorizar a alegria pelo simples prazer de ser feliz, despreocupado como uma criança –  comentou o carnavalesco. 

            Confira a introdução e justificativa do enredo: 

O sorriso espontâneo, às vezes sem motivo; o cantarolar repentino; a leveza de ver beleza nos mais simples e miúdos movimentos da vida. A alegria se faz presente nos mais variados episódios da trama de nossa trajetória na terra. Tão plural quanto cobiçada, diversas são as definições que tentam alcançar o seu total sentido e, igualmente complexo, seria tentar reduzi-la em uma única teoria. É seguro dizer que, dos sentimentos humanos, a alegria é sem sombra de dúvidas o mais buscado. Estar alegre, sentir-se alegre, ser alegre – mesmo que a utopia do “para sempre” não seja alcançada e o sentimento nos tome apenas por alguns segundos – são estados verbais que parecem dar razão e sentido aos movimentos que embalam a dança da vida.

É correto também dizer que a alegria, que vem do grego “contente”, “animado”, “ânimo leve” é expressada com maior frequência na infância, fase da vida em que normalmente somos poupados das responsabilidades e compromissos que dificultam a presença de momentos leves e alegres em nosso cotidiano. É baseada nisso que a Acadêmicos de Vigário Geral aposta para o seu carnaval a exposição das alegrias geradas nos tempos de criança. Desde os brinquedos e brincadeiras praticadas em tempos passados, até os games e tecnologias contemporâneas, a intenção é trazer ao público carnavalesco, entre nostalgia e identificação, as magias e sonhos que cercam a infância.

Teremos como referência de adaptação, a obra de Roald Dahl que deu origem ao famoso filme de mesmo nome, A Fantástica Fábrica de Chocolate. Na trama carioca e carnavalesca, Samir, um menino da zona norte, sai às ruas, vazias e escassas de crianças e suas brincadeiras, buscando alegria e divertimento até encontrar o bilhete dourado que lhe dá acesso para uma visita na fábrica. Na “Fantástica Fábrica da Alegria Vigário Geral”, Samir visita os diversos setores produtores de alegria, setores estes que representam as diversas formas de brincar e obter alegria da infância. Por fim, pega sua fantasia, rumo à Marquês de Sapucaí e exibe ao mundo todo a alegria contagiante produzida pela fábrica escola. 

   “A Fantástica Fábrica da Alegria” é o enredo da tricolor da Zona Norte

A Acadêmicos de Vigário Geral deu o pontapé inicial visando o Carnaval 2023. A agremiação vai levar para Marquês de Sapucaí o enredo “A Fantástica Fábrica da Alegria”, desenvolvido pelos carnavalescos Alexandre Costa, Lino Sales, Marcus do Val e pesquisa feita por Marcus Vinícius Sant’anna. 

A escola apresentará uma temática diferente do que nos últimos carnavais. A tricolor da Zona Norte vai narrar a vida do menino Samir, cria da comunidade de Vigário Geral, que sempre sonhou em encontrar o bilhete premiado e realizar todas as suas fantasias. O carnavalesco Marcus do Val explica o motivo da escolha: 

⁃ Depois de dois carnavais com críticas sócias, em 2023 resolvemos trazer um enredo mais leve e inocente. Nesse enredo pretendemos conduzir à todos uma viagem a momentos que pelo menos uma vez trouxe aquele sorriso de canto de boca ou até mesmo uma risada. Vamos valorizar a alegria pelo simples prazer de ser feliz, despreocupado como uma criança –  comentou o carnavalesco. 

            Confira a introdução e justificativa do enredo: 

O sorriso espontâneo, às vezes sem motivo; o cantarolar repentino; a leveza de ver beleza nos mais simples e miúdos movimentos da vida. A alegria se faz presente nos mais variados episódios da trama de nossa trajetória na terra. Tão plural quanto cobiçada, diversas são as definições que tentam alcançar o seu total sentido e, igualmente complexo, seria tentar reduzi-la em uma única teoria. É seguro dizer que, dos sentimentos humanos, a alegria é sem sombra de dúvidas o mais buscado. Estar alegre, sentir-se alegre, ser alegre – mesmo que a utopia do “para sempre” não seja alcançada e o sentimento nos tome apenas por alguns segundos – são estados verbais que parecem dar razão e sentido aos movimentos que embalam a dança da vida.

É correto também dizer que a alegria, que vem do grego “contente”, “animado”, “ânimo leve” é expressada com maior frequência na infância, fase da vida em que normalmente somos poupados das responsabilidades e compromissos que dificultam a presença de momentos leves e alegres em nosso cotidiano. É baseada nisso que a Acadêmicos de Vigário Geral aposta para o seu carnaval a exposição das alegrias geradas nos tempos de criança. Desde os brinquedos e brincadeiras praticadas em tempos passados, até os games e tecnologias contemporâneas, a intenção é trazer ao público carnavalesco, entre nostalgia e identificação, as magias e sonhos que cercam a infância.

Teremos como referência de adaptação, a obra de Roald Dahl que deu origem ao famoso filme de mesmo nome, A Fantástica Fábrica de Chocolate. Na trama carioca e carnavalesca, Samir, um menino da zona norte, sai às ruas, vazias e escassas de crianças e suas brincadeiras, buscando alegria e divertimento até encontrar o bilhete dourado que lhe dá acesso para uma visita na fábrica. Na “Fantástica Fábrica da Alegria Vigário Geral”, Samir visita os diversos setores produtores de alegria, setores estes que representam as diversas formas de brincar e obter alegria da infância. Por fim, pega sua fantasia, rumo à Marquês de Sapucaí e exibe ao mundo todo a alegria contagiante produzida pela fábrica escola. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s