BK: Decisão de Crivella pode acabar com Grupo de Acesso na Sapucaí

Por Bruno Kazuhiro -16 de julho de 2019/Diário do Rio

Em mais uma decisão polêmica e seguindo na rota de colisão com o Carnaval carioca, o prefeito Marcelo Crivella resolveu baixar decreto que prevê o fim da atuação dos serviços públicos durante os desfiles das escolas de samba na Sapucaí. Ou seja, a Rio Luz, a Comlurb e a Guarda Municipal, por exemplo, não seriam mais responsáveis pela iluminação, limpeza e segurança do Sambódromo. Caberia à Liga das Escolas de Samba arcar com esses custos, seja contratando os próprios órgãos da Prefeitura ou empresas terceirizadas.

Vale lembrar que Crivella já vem buscando desvincular o Município do Rio e o Carnaval há muito tempo, desde quando recusou-se a entregar a chave da Cidade ao Rei Momo, tradição histórica do Rio. Depois desse episódio, as trocas de farpas foram muitas, os apoios financeiros às escolas diminuíram fortemente e a burocracia para os blocos carnavalescos aumentaram bastante. Ficou nítida uma tentativa, para além da separação institucional, de enfraquecimento de algo que não atende à filosofia pessoal do prefeito.

Agora, com o fim da parceria entre o Município e as escolas para os desfiles, faço questão de ressaltar uma consequência que poucos estão citando. Se por um lado a LIESA, organizadora do Grupo Especial, pode talvez encontrar investidores e patrocinadores que cubram os custos de limpeza, iluminação, segurança, setor médico, etc, por outro lado isso não é verdade para o Grupo de Acesso, hoje chamado de Série A, que também desfila na Sapucaí, na sexta e no sábado, necessitando igualmente dos mesmos serviços. Sem o mesmo apelo comercial da primeira divisão, como a segunda divisão se manterá no Sambódromo? Ou se espera que as escolas da elite doem dinheiro ao outro grupo quando já estarão batalhando para se manter?

O corte dos serviços gratuitos para o Grupo Especial suscita o debate entre os que acreditam ser uma decisão justa, os que criticam a gestão das escolas e os que acham que o desfile das escolas tem interesse público pela importância cultural, relevância história e atração de turistas e arrecadação. Enquanto isso, o Grupo de Acesso, que alimenta as grandes escolas com profissionais, revela artistas, gera emprego e oferece alternativa sadia aos que têm poucas oportunidades, pode estar sendo inviabilizado com mais essa “Crivellada”.

Mesmo com tantas Crivelladas, o 2º turno de 2020 pode ser com o atual prefeito.

Bruno Kazuhiro

Bruno Kazuhiro29 anos, é formado em Direito pela UFRJ, Mestre em Ciência Política pelo IESP-UERJ e Presidente Nacional da Juventude do Democratas. Além disso, é coordenador de Juventude da União de Partidos Latino-Americanos e Presidente Adjunto da Juventude da União Democrata Internacional.

© Diário do Rio. Todos os direitos Reservados. (Autorização de publicação concedida por Diário do Rio e Bruno Kazuhiro)

Rua Sete de Setembro, 88 – Sl. 410, Centro, Rio de Janeiro – RJ CEP: 20050-03 Tel: (21) 2507-8596

Contato: rio@diariodorio.com